segunda-feira, 20 de maio de 2013

Floresta Digital: equipamentos foram abandonados há mais de dois anos em Santa Rosa do Purus


Equipamentos do programa Floresta Digital, do governo do Acre, destinado a oferecer acesso gratuito à internet, permanecem há mais de dois anos numa sala da delegacia de polícia de Santa Rosa do Purus, na fronteira com o Peru, considerado um dos municípios mais pobres e isolados do país.

A população de Santa Rosa do Purus continua sem o serviço do Floresta Digital enquanto os equipamentos, avaliados em mais de R$ 100 mil, se deterioram numa sala apertada improvisada como depósito na delegacia.

Além de Santa Rosa, em seis municípios do Acre não existe ponto de acesso do programa Floresta Digital: Cruzeiro do Sul, Jordão, Mâncio Lima, Marechal Thaumaturgo, Porto Walter e Rodrigues Alves.

- O Floresta digital é uma utopia. Não está presente nos municípios mais distantes, onde a população mais necessita do serviço - afirma um morador de Santa Rosa do Purus.

Lançado em fevereiro de 2010, o programa custou oficialmente R$ 30 milhões. Para viabilizá-lo, o governo estadual fez parceria com a Agência de Comércio e Desenvolvimento dos Estados Unidos (USTDA).

O estudo técnico do programa, que custou US$ 573,8 mil, foi financiado integralmente pela agência norte-americana. O governo do Acre prometeu que todos os municípios teriam cobertura total a partir de setembro de 2010.

- O máximo que a gente for capaz de imaginar e sonhar será muito pouco diante do que vai acontecer no Acre a partir do Floresta Digital. Nós estamos criando algo confiantes na capacidade da molecada espalhada no Acre inteiro. Estamos consolidando o maior projeto de inclusão digital do país - afirmou o então governador Binho Marques (PT).

De acordo com a propaganda do governo estadual, o objetivo do Floresta Digital era possibilitar acesso à internet com banda larga em qualquer local do estado.

O governo dispunha de verbas e anunciou que faria cobertura de 100% da área do Estado, incluindo as comunidades mais distantes da zona rural e dos centros urbanos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário