terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Manoel Urbano: Juíza Zenice Motta diploma eleitos nas eleições de outubro


Em sessão solene a Juíza da 3ª Zona Eleitoral do Acre, Dra. MM. Zenice Mota Cardoso, diplomou na manhã deste sábado, 15, vereadores e seus suplentes, prefeito e vice eleitos nas eleições de outubro.
 
A solenidade contou com a presença de autoridades como atual Prefeito Chico Mendes e o Deputado Estadual Jamil Asfury, a Promotora eleitoral Patricia Paula dos Santos além de lideranças políticas locais e familiares dos eleitos.
 
A juíza lembrou aos eleitos dos princípios da administração pública constante na Constituição Federal, Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiencia como norteadores daquele que se dispõe a governar.

Pela ordem de votos os vereadores eleitos e diplomados hoje são:

Raimundo Toscano Velozo, 268 votos. (PP)


Severina Selma da Costa Araújo, 257 votos. (PT)


Raimundo Cipriano de Oliveira - Cocão -  242 votos. (PSDC)


Antonio Messias Nunes Cardeal, 237 votos. (DEM)


Cledson Santos de Menezes, 236 votos.(PSB)

José Carlos Oliveira de Souza - Carlinhos -  191 votos.(PT)
 
Antonio Jeferson Magalhães, 175 votos.(PSD)
 
Gilberto Rodrigues de Lima, 166 votos(PSDB)
 
Luiz de Castro Fernandes, 150 votos.(PSDB).
 
Os suplentes diplomados foram:
 
Francisco Charliton Brandão de Souza, 1º Suplente da Coligação Frente Popular de Manoel Urbano, com 176 votos.
 
Emilson Negreiro de Almeida, 1º Suplente da Coligação Aliança Democrática Murbanense II, com 131 votos.
 
Valderi Narcísio da Silva, 1º Suplente da Coligação Aliança Democrática Murbanense I, com 128 votos.
 
José Aldecir Gomes Ferreira, 1º Suplente da Coligação Manoel Urbano Unido, com 126 votos.
 
Discursaram na solenidade o vereador reeleito Raimundo Toscano, a Vereadora também reeleita Severina Selma e o Prefeito eleito e diplomado Ale Anute. Os discursos tiveram um tom de otimismo para o novo mandato e de agradecimento aos eleitores.
 
Por: Benenê/purusonline

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Brasil ocupa 69ª posição em ranking de corrupção, mostra estudo


Brasília - A organização não governamental (ONG) Transparência Internacional (Tranparency Internacional) divulgou esta quarta-feira (5) o estudo Percepções da Corrupção Index 2012, no qual analisa a situação em 176 países. O Brasil aparece em 69ª posição no ranking. Na América Latina, o país fica atrás apenas do Chile e do Uruguai, que estão na 20ª posição. Compartilham o topo da lista, com menos casos de corrupção, a Dinamarca, a Suécia e a Nova Zelândia.

As piores posições no ranking da ONG são ocupadas pelo Afeganistão, pela Coreia do Norte e pela Somália. Nas Américas e no Caribe, as posições mais negativas são as do Haiti, em 165º lugar, e do Paraguai, em 150º.

Em nota, a Transparência Internacional diz que os níveis de corrupção no mundo ainda são elevados, assim como casos de “abuso de poder e relações sigilosas”. Para a organização, é necessário intensificar as ações em busca da transparência de dados e informações referentes aos órgãos públicos e sua atuação.

A presidenta da Transparency Internacional, Huguette Labelle, defendeu a integração de ações governamentais em busca do combate à corrupção além da concessão de mais espaço para a sociedade  participar dos debates. Segundo ela, é fundamental estabelecer regras para o lobby e o financiamento para campanhas políticas, além da definição de normas transparentes para a contratação de serviços públicos.

Labelle disse ainda que a intenção do estudo é incentivar os governos a tomar uma decisão “mais dura contra o abuso de poder”. De acordo com ela, os casos considerados mais graves estão no Oriente Médio e na África, pois, em geral, os números indicam que houve uma estagnação e até  retrocesso em algumas situações.

No caso dos países que ocupam a primeira posição, destacando-se em relação aos demais, como Dinamarca, Finlândia e Nova Zelândia, a organização considera o esforço público – associado ao acesso aos sistemas de informação e à definição de regras claras, que regem o comportamento dos que ocupam cargos públicos – preponderante para evitar casos de corrupção.

Nas piores posições, nas quais estão Afeganistão, Coreia do Norte e Somália, a ONG diz que faltam  líderes responsáveis e instituições públicas eficientes. Também estão em posições consideradas negativas alguns países da zona do euro (17 países que adotam a moeda única), como Grécia, em 94ª posição, e Itália, em 72ª, regiões que sofrem os impactos intensos da crise econômica internacional.

O diretor da Transparência Internacional, Corbus de Swardt, disse que as principais economias do mundo devem dar exemplo de lisura, verificando a atuação das instituições públicas e cobrando responsabilidade dos gestores e líderes. “Isso é crucial. As instituições têm um papel significativo na prevenção da corrupção", disse.

Os países que estão em confrontos internos, como a Síria e o Egito, também aparecem entre os apontados com graves problemas de corrupção. A Síria ocupa a posição de 144 e o Egito a de 118. O estudo completo está disponível no site da Transparência Internacional

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Governo forma 50 Agentes Comunitários de Saúde em Jordão e Santa Rosa do Purus

IDM forma mais 50 agentes de saúde. Ação visa a qualificação profissional dos servidores da saúde (Foto: Assessoria IDM)


Nos dias 29 e 30 de novembro, o Instituto Dom Moacyr (IDM) realizou a formatura de 50 Agentes Comunitários em Saúde (ACS) nos municípios de Jordão e Santa Rosa do Purus, respectivamente. O governo do Estado já proporcionou a formação de ACS a 1.020 profissionais em serviço de saúde em todos os municípios do Acre.
A execução do curso se dá por meio da Escola Técnica em Saúde Maria Moreira da Rocha, que tem como coordenadora-geral Anna Lúcia Abreu, e coordenadora do curso de ACS a enfermeira Sabrine Benigna Strube Coelho. O curso teve bases teóricas e práticas, e o Aperfeiçoamento em Materno Infantil, como solicitação do Ministério da Saúde, para auxiliar no Programa de Redução da Mortalidade Materno-Infantil na Região Norte.
“Um dia sonhamos com essa profissão. Ouvimos, seguimos as orientações dos profissionais competentes, e com muito esforço hoje podemos colher os frutos. Ser agente de saúde é ser capaz de levar ao ser humano a promoção e a prevenção da saúde, é ir além da obrigação de ter que cumprir tarefas, é estar engajado na profissão e compartilhar com o ser humano sobre as necessidades que cada um deve ter com a sua saúde”, disse Adessandra Santos de Araújo, educanda do curso ACS em Santa Rosa do Purus.
Antônio Marlino Mendonça Matos, educando do curso de ACS em Jordão, disse estar agradecido pela oportunidade. “O curso foi muito significativo, estamos muito felizes, e aproveito para agradecer ao governador do Estado pelo empenho e compromisso com a saúde do nosso Acre. Tenho certeza de que, com essas capacitações que tivemos, vamos desempenhar um trabalho com êxito e dignidade à nossa população”, promete.
“O ACS é o mediador entre a comunidade e os serviços de saúde, no qual o agente é o ator principal, o elo entre os serviços públicos de saúde e os resultados obtidos por meio dessa interação, e o governo do Estado está se empenhado para que a promoção de saúde seja efetivada, qualificando cada vez mais os profissionais, beneficiando todas as comunidades do nosso Estado”, destaca Marco Brandão, diretor-presidente do Instituto Dom Moacyr.
 Foto: a formando a Senhora Edvanete da Silva e seu esposo João Narcisio da Silva
 Foto: João Narcisio 
Foto: João Narcisio e André da Silva