quinta-feira, 19 de julho de 2012

Para TIM, proibição da Anatel é "desproporcional" e afeta competição


Em comunicado, operadora argumentou que o bloqueio das vendas de novas linhas em 19 estados do Brasil é uma medida contra a competição e garante que monitora a qualidade de seus serviços


Proibida de vender novas linhas em 19 estados do Brasil pela Agência Nacional de Telecomunicações, a TIM reagiu informando que a medida do órgão regulador vai afetar a competição no País. Oi e Claro também não podem vender novas linhas a partir de segunda-feira (23/07). A suspensão foi em razão de problemas com a qualidade dos serviços.

Em comunicados, a TIM informar aos mais de 68 milhões de clientes, aos seus acionistas e ao público em geral que recebeu com surpresa a medida da Anatel, considerando a punição “de forma desproporcional”.

Segundo a operadora, a Anatel monitora mensalmente a qualidade de rede das operadoras móveis, por meio de indicadores de qualidade de serviço de rede e afirma que a operadora não está fora dos índices. 

Já no quesito Índice de Desempenho no Atendimento da Anatel (IDA), garante que vem apresentando bons resultados, justificando que saiu da última posição no indicador e assumiu a vice-liderança, estando cada vez mais próximo do primeiro lugar, reflexo da grande redução na taxa de reclamações (-36%).


Em sua nota argumenta ainda que foi a única operadora a apresentar redução na taxa de reclamações e crescimento na pontuação do IDA no primeiro trimestre de 2012.

Com base em sua argumentação, considera que a decisão do órgão regulador é contra a competição. “Tal medida desproporcional da Anatel certamente afetará a competição no setor de telecomunicações no País em beneficio de alguns concorrentes e em prejuízo aos mais de 200 milhões de usuários”, protesta. 

Porém, a operadora acata a proibição, informando que irá tomar todas as medidas necessárias para restabelecer o quanto antes a normalidade de suas atividades.


Nenhum comentário:

Postar um comentário