terça-feira, 31 de julho de 2012

ACRE DESAMPARA FAMÍLIA DE "BAIANO"


Depois de 16 anos completados do bárbaro “crime da motosserra”, como ficou conhecido internacionalmente o assassinato de Agilson Santos Firmino pelo ex-deputado Hildebrando Pascoal, Emanuela Oliveira Firmino, única filha de Agilson, diz que sua família ainda se sente desamparada. Desde 2009, 13 anos depois do crime, quando foi feito o julgamento e a condenação de Pascoal, ela espera que o Estado do Acre se responsabilize pelos crimes e indenize a família. O entendimento é o de que os crimes brutais contra o pai (Agilson) e o irmão Wilder Firmino de Oliveira provaram a participação de agentes públicos (parlamentares, policiais civis e militares) e fizeram a família abandonar o estado sem nenhum pertence ou proteção.

A passagem pela região Norte do Brasil tenta ser esquecida, mas resiste na memória da família. “Minha mãe até hoje não se recuperou”, conta Emanuela, em entrevista ao Bahia Notícias. Tanto o pai quanto o irmão dela, Wilder, um garoto de apenas 13 anos, foram mortos pelo conhecido “esquadrão da morte”, um grupo de extermínio formado por policiais com a participação de políticos que tinha a liderança do ex-coronel da Polícia Militar Hildebrando Pascoal. Agilson e Wilder foram mortos porque não sabiam o paradeiro de José Hugo. Hugo era amigo de Agilson, e tornara-se alvo de Hildebrando por ter, depois de um bate-boca, atirado e matado o irmão do ex-parlamentar, o subtenente da PM acreana Itamar Pascoal. Segundo o processo, a tropa de Hildebrando perseguiu Hugo, mas encontrou apenas Agilson, cujo único “crime” foi estar no local errado, e na hora errada.

Emanuela conta que viu o pai pela última vez no sábado do dia 29 de junho de 1996. “Toda vez que ele entrava em casa, tinha que falar comigo, dizer que me amava. Naquele dia, ele brincou com a gente e depois disse para mim: ‘viu como é bom ter um pai’?”, relata a filha do comerciante, e não mecânico, como até hoje, diz ela, insistem em chamá-lo. Segundo Emanuela, Agilson gostava de desafios e foi para o Acre com a intenção de mudar de vida. Nos seis meses que passaram lá, o pai abriu um restaurante, por um tempo, em ponto alugado. Na época do crime, ele se preparava para outro investimento no mesmo ramo de alimentação.

No domingo, dia 30 de junho de 1996, não tiveram mais notícias de Agilson. Policiais foram até a casa da família e pediram que alguém os acompanhasse até uma delegacia. Disseram que ele estava bêbado, havia batido o carro e permanecia preso. Primeiro, levaram a mãe de Emanuela para um quartel da PM, depois buscaram o irmão adolescente, Wilder, e o levaram para o mesmo lugar.

A mãe voltou, mas o jovem não. “Começamos as buscas, logo no domingo. Minha mãe e eu estávamos nervosas, tivemos que gastar todo o dinheiro que tínhamos atrás de alguma pista. Até um relógio caro, que ela possuía, usamos como pagamento de táxi”, relembra Emanuela. Só na terça-feira, 2 de julho daquele ano, receberam a confirmação da morte do pai. Souberam pela TV, na casa de uma amiga.

Agilson foi torturado desde o domingo em que José Hugo matou o irmão de Hildebrando. O comerciante teve as pernas, braços e pênis cortados por uma motosserra e um facão. Seus olhos foram perfurados, um prego foi introduzido em sua testa e sua cabeça foi alvejada com tiros. O corpo foi encontrado em uma das avenidas mais movimentadas de Rio Branco, capital do Acre, em frente a uma emissora de televisão. Hildebrando atribui a autoria da morte a dois ex-legisladores, já mortos: o ex-vereador (também policial) Alípio Ferreira e o ex-deputado Carlos Airton.

Wilder foi morto no mesmo domingo em que foi levado para o quartel da polícia, após ser torturado. Teve o corpo queimado com ácido e levou três tiros na cabeça. Neste caso, foi condenado o tenente da PM, Pedro Pascoal, um dos nove irmãos de Hildebrando. Hoje, Pedro, que já cumpriu mais de um terço da pena, recorre da sentença em liberdade. Hildebrando, com mais de 116 anos de condenação, por vários crimes, entre eles tráfico de drogas, tentativa de homicídio e corrupção eleitoral, pode pedir, em 2014, a remissão para ficar em regime semiaberto, quando completa 15 anos de prisão.

Emanuela, a mãe, e o irmão mais novo, depois da fatídica terça, não voltaram mais para casa. Refugiaram-se no lar de uma amiga. Ao saber que o corpo de Wilder tinha sido abandonado em uma estrada, resolveram procurar a Secretaria de Segurança Pública do Acre para que pudessem ajudá-los. Uma pessoa tinha dito a elas que era melhor não retornar à sua residência. “A gente não teve nenhum auxílio do Estado. Em hora nenhuma”, desabafa.

A partir daquele instante se esconderam na morada de uma pessoa que mal conheciam, mas que se sentiram seguras. “Dormimos no chão de uma casa escura. Passamos aqueles dias apenas com as roupas do corpo. A todo o momento imaginávamos que alguém viria nos matar”, lembra, com emoção, os últimos dias que passaram em Rio Branco. Quando a família foi convocada para participar do julgamento em 2009, só aceitaram sob a condição de que nenhum policial acreano fizesse parte da segurança. A saída do estado só se tornou realidade depois que parentes enviaram dinheiro para a compra das passagens. Para aumentar o suplicio, o voo que precisavam só ocorria uma vez na semana.

Com a condenação de Pascoal, a sensação de justiça aliviou um pouco o sofrimento da família, apesar da dor permanente. “Acontece sempre uma vontade de chorar”, se emociona Emanuela. A filha de Agilson e irmã de Wilder, disse que tenta esquecer, junto com a mãe e o irmão mais novo, os responsáveis pelas duas mortes. Mas está convencida que o Estado deve ser responsabilizado.

Para o procurador Sammy Barbosa Lopes, do Ministério Público do Acre, a família tem o direito de cobrar indenização ou pensão. Ele disse à reportagem do BN que o MP se posiciona favorável à penalização, mas o réu, Hildebrando, também deve pagar por isso. A discordância entre Emanuela e a promotoria dá-se nesta questão. Para ela, Hildebrando é uma “página virada”. “Ele já foi condenado pelo crime, falta agora o Estado cumprir a parte dele para que a justiça seja feita”, reclama.

Outra queixa é que, à época do julgamento, circulou a notícia de que o ex-deputado tinha transferido todo o patrimônio para a então esposa, Rosângela Nogueira, e não possuía dinheiro em caixa para pagar custos judiciais. O procurador afirma que é esta mais uma “artimanha” de Pascoal para assegurar o patrimônio que ainda tem. “Todo mundo sabe que ele tem posses, que é um fazendeiro grande, e o MP apontou a origem dos bens no julgamento, e chegou-se a questionar essa transferência de bens”, declara.

Sammy Lopes disse que, no julgamento, foi invocada a Lei 11.719/08, que dá ao juiz condições de estabelecer na mesma sentença criminal o valor de indenizações, item vinculado à esfera civil. “Fizemos o pedido, mas o juiz negou”, lamentou. O promotor acredita que uma das causas para a negação foi o fato de esta lei ser recente à época. “Me parece que o juiz não estava confortável para deferir a sentença porque a lei era nova”, relata. Ele conta também que o processo pode demorar porque tem que esperar o trânsito em julgado, ou seja, aguardar até que ao caso não caiba mais nenhum recurso. Hildebrando foi condenado pelo “crime da motosserra” a 18 anos de prisão, mas entrou com recurso para abrandar a pena. Segundo o procurador, o MP também recorreu para tentar a indenização. “Como os tribunais estão acima dos juízes, podem mudar esta decisão em favor da família vitimada”, acrescentou.

Entretanto, Emanuela, afirma que a família não pode esperar tanto. “Minha mãe precisa de auxílio, minha avó também. A nossa família foi muito prejudicada”, pontua. A luta pela reparação é tortuosa. Como Agilson e Wilder foram enterrados como indigentes no Acre, só em 28 de setembro de 2010 a família pode sepultar os restos mortais dos dois.

Emanuela disse que já pensou em escrever um livro, mas se desanima. “São muitos os exemplos de impunidade”, lastima. Ela tem um blog “Vida em Fuga” e procura um advogado que se interesse pela causa da família. Já deu entrevistas para vários jornalistas, entre eles o acreano Altino Machado, um dos primeiros a noticiar os crimes do chamado “esquadrão da morte”. Participou também de outras matérias em jornais e emissoras de TV de projeção nacional. Enquanto a justiça plena não vem, Emanuela luta para que a história não seja esquecida nem pelo Acre e nem mesmo pelo país. A família dela jamais irá esquecer os momentos de terror.

Francisco Juliano é jornalista do site Bahia Notícias.
Fonte: blog do Altino Machadi

sexta-feira, 20 de julho de 2012

AMPLIAÇÃO DA ORLA FLUVIAL DE SANTA ROSA DO PURUS

O Prefeito de Santa Rosa do Purus em breve entregará para população de Santa Rosa do Purus mais uma das Obras que irá mudar a Cara da Cidade.

A ampliação da Orla Fluvial localiza na Rua Profiro terá uma extensão de 300 metros. É um local bem arborizado onde a população poderá ter uma visão bem ampla do Rio Purus.

 Foto: Construção da Orla Fluvial de Santa Rosa do Purus
 Foto: Destaque da Obra, uma Empresa de Manoel Urbano construindo uma Santa Rosa Melhor

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Com dois de Douglas, Corinthians faz 3 a 0 no Flamengo


O Corinthians acordou no Brasileirão. Depois de uma sequência negativa no início, por conta do foco na Libertadores, o time de Tite foi à forra nesta quarta-feira e aplicou 3 a 0 no Flamengo, no Engenhão, pela 10ª rodada. O destaque da noite foi Douglas, que se credenciou para assumir a vaga de Alex no time ao marcar dois gols. Danilo também balançou as redes.
A segunda vitória seguida deu fôlego ao Corinthians na tabela. O campeão da Libertadores subiu para os 11 pontos e se afastou das últimas posições, após um início trôpego no Brasileirão. O Flamengo, por sua vez, estacionou nos 15. Mas, mesmo em situação mais favorável, colocou o emprego do técnico Joel Santana em risco.
duelo desta quarta, porém, ficará marcado pelo bom retorno de Douglas ao time titular. Além dos dois gols, o meia mostrou bom preparo físico e participou das principais jogadas do Corinthians. A performance deverá garantir seu espaço entre os titulares na sequência do campeonato.
O JOGO - Sem tomar conhecimento do Flamengo, o Corinthians começou a partida nesta quarta como se estivesse jogando em casa. Controlou o meio-campo, exibiu postura ofensiva e deu poucas brechas na defesa. E ainda contou com um inspirado Douglas, que substituiu Alex, de saída, à altura.
O primeiro bom lance do Corinthians surgiu logo aos 2 minutos de jogo, quando Paulinho aproveitou sobra dentro da área e bateu com perigo. Paulo Victor caiu para fazer a defesa. Romarinho também ameaçou, em dois lances. Aos 17, cabeceou com perigo e parou no goleiro flamenguista. Aos 20, bateu de primeira após cruzamento rasteiro da esquerda e voltou a dar trabalho para Paulo Victor.
Acuado, o Flamengo avançava de forma cautelosa, geralmente pelas laterais. Mas não deixava de ceder espaço na defesa. Emerson era motivo de preocupação constante nos contra-ataques. Ele chegou a ter duas boas chances em arrancadas velozes, mas não conseguiu converter.
Douglas foi mais eficiente. Aos 26, aproveitou vacilo de Bottinelli no meio-campo, roubou a bola e disparou no contra-ataque até mandar a bola para as redes, na saída de Paulo Victor. Aos 39, o meia do Corinthians contou com ajuda de Renato Abreu, que desarmou o ataque rival, mas desviou de calcanhar, às cegas, para dentro da área. Douglas encheu o pé e não desperdiçou.
O panorama do jogo não mudou no segundo tempo. Mais bem posicionado, o Corinthians trocava passes com mais facilidade e chegava com frequência ao ataque. Aos 9, Romarinho iniciou jogada que culminou em belo chute de Danilo. A bola morreu no canto direito de Paulo Victor, sem chances de defesa.
Mesmo sem fazer esforço, o Corinthians continuava a levar perigo ao gol flamenguista. Aos 26, Airton derruba Emerson dentro da área e o árbitro assinala o pênalti. Na cobrança, o próprio atacante bateu mal e facilitou a defesa do goleiro rubro-negro.
Sem forças para reagir, o Flamengo aceitou o domínio do Corinthians e ainda enfrentou as vaias da torcida. A partir da metade do segundo tempo, parte dos torcedores ficou de costas nas arquibancadas em protesto contra a fraca atuação da equipe carioca.
Na próxima rodada, o Corinthians enfrentará a Portuguesa na noite de sábado, às 21 horas, no Pacaembu. O Flamengo vai encarar o Cruzeiro, domingo, no Independência, às 16 horas.
FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO 0 x 3 CORINTHIANS
FLAMENGO - Paulo Victor; Léo Moura, Marllon, Arthur Sanches, Magal; Airton, Ibson, Renato Abreu, Bottinelli (Adryan); Hernane (Mattheus) e Vagner Love. Técnico: Joel Santana.
CORINTHIANS - Cássio; Alessandro, Chicão, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Douglas (Edenílson); Romarinho (Jorge Henrique) e Emerson. Técnico: Tite.
GOLS - Douglas, aos 26 e aos 39 minutos do primeiro tempo. Danilo, aos 9 minutos do segundo tempo.
CARTÕES AMARELOS - Chicão, Airton, Adryan.
ÁRBITRO - Sandro Meira Ricci (PE).
RENDA - R$ 321.605,00.
PÚBLICO - 14.897 pagantes.
LOCAL - Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).

Para TIM, proibição da Anatel é "desproporcional" e afeta competição


Em comunicado, operadora argumentou que o bloqueio das vendas de novas linhas em 19 estados do Brasil é uma medida contra a competição e garante que monitora a qualidade de seus serviços


Proibida de vender novas linhas em 19 estados do Brasil pela Agência Nacional de Telecomunicações, a TIM reagiu informando que a medida do órgão regulador vai afetar a competição no País. Oi e Claro também não podem vender novas linhas a partir de segunda-feira (23/07). A suspensão foi em razão de problemas com a qualidade dos serviços.

Em comunicados, a TIM informar aos mais de 68 milhões de clientes, aos seus acionistas e ao público em geral que recebeu com surpresa a medida da Anatel, considerando a punição “de forma desproporcional”.

Segundo a operadora, a Anatel monitora mensalmente a qualidade de rede das operadoras móveis, por meio de indicadores de qualidade de serviço de rede e afirma que a operadora não está fora dos índices. 

Já no quesito Índice de Desempenho no Atendimento da Anatel (IDA), garante que vem apresentando bons resultados, justificando que saiu da última posição no indicador e assumiu a vice-liderança, estando cada vez mais próximo do primeiro lugar, reflexo da grande redução na taxa de reclamações (-36%).


Em sua nota argumenta ainda que foi a única operadora a apresentar redução na taxa de reclamações e crescimento na pontuação do IDA no primeiro trimestre de 2012.

Com base em sua argumentação, considera que a decisão do órgão regulador é contra a competição. “Tal medida desproporcional da Anatel certamente afetará a competição no setor de telecomunicações no País em beneficio de alguns concorrentes e em prejuízo aos mais de 200 milhões de usuários”, protesta. 

Porém, a operadora acata a proibição, informando que irá tomar todas as medidas necessárias para restabelecer o quanto antes a normalidade de suas atividades.


terça-feira, 17 de julho de 2012

TRE-AC faz alerta sobre propaganda eleitoral na internet


Candidatos às eleições municipais de 2012 devem estar atentos às novidades sobre campanha eleitoral na internet. Essa modalidade de divulgação, que estreou nas eleições de 2010, será utilizada pela primeira vez em eleições municipais neste ano de 2012. 

A propaganda na internet já está liberada desde o dia 6 de julho e pode ser feita em sítio do candidato, com endereço eletrônico comunicado à Justiça Eleitoral e hospedado, direta ou indiretamente, em provedor de serviço de internet estabelecido no país. 

Pode ainda ocorrer em sítio do partido ou da coligação, com endereço eletrônico também comunicado à Justiça Eleitoral; por meio de mensagem eletrônica para endereços cadastrados gratuitamente pelo candidato, partido ou coligação, e ainda por meio de blogs, redes sociais, sítios de mensagens instantâneas e assemelhadas, cujo conteúdo seja gerado ou editado por candidatos, partidos ou coligações ou de iniciativa de qualquer pessoa natural. 

É importante ressaltar que na internet é vedada a veiculação de qualquer tipo de propaganda eleitoral paga. Outro cuidado a ser tomado pelo candidato diz respeito a mensagens eletrônicas. Estas devem dispor de mecanismo que permita seu descadastramento pelo destinatário, ficando obrigado o remetente a providenciá-lo no prazo de 48 horas. As mensagens eletrônicas enviadas após o término do prazo previsto sujeitam os responsáveis ao pagamento de multa no valor de R$ 100,00 (cem reais), por mensagem. 

Para acessar a íntegra da resolução que dispõe sobre a propaganda eleitoral e as condutas ilícitas, o endereço é: http://www.justicaeleitoral.jus.br/arquivos/tse-resolucao-tse-no-23-370-eleicoes-2012.

TRE-ACRE

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Acre registra 2.227 candidatos às eleições de 2012, informa Justiça eleitoral


Imagem da fachada do prédio do Fórum Eleitoral de Rio Branco, localizado em frente à sede do TRE-AC.
Dados atualizados do sistema de candidaturas do Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC), mostra que há 2.227 candidaturas registradas para as eleições deste ano em todo o Estado. Destas, 2.131 concorrem às vagas de vereador, 73 de prefeito e outros 73 de vice-prefeito.
Em Rio Branco, onde se concentra o maior colégio eleitoral do Estado, há 332 candidaturas registradas para as vagas de vereador e 6 para prefeito. Neste momento, as zonas eleitorais do Estado, responsáveis pelo recebimento dos registros, atuam na conferência dos documentos apresentados pelos partidos, coligações e candidatos individuais.
Vale reforçar que esta semana termina o prazo para qualquer candidato, partido político, coligação ou o Ministério Público Eleitoral impugnar os pedidos de registro de candidatos apresentados pelos partidos.
O cidadão no gozo de seus direitos políticos também poderá dar ao juízo eleitoral notícia de inelegibilidade. As causas mais comuns de inelegibilidade são as decorrentes da Lei da Ficha Limpa, ausência de desincompatibilização, parentesco com titulares de mandatos eletivos do executivo e outras descritas na Lei Complementar 64/90.
Fonte: TRE/AC

TCE nega pedido de revisão das contas de Toinha Vieira e a mantém ficha suja


TCE nega pedido de revisão das contas de Toinha Vieira e a mantém ficha suja
O pedido de revisão da decisão que tornou a então prefeita de Sena Madureira, hoje deputada estadual Toinha Vieira (PSDB), ficha suja por irregularidades em sua prestação de contas foi negado pela maioria dos conselheiros do Tribunal de Contas do Estado, durante sessão nesta quinta-feira.
Por três votos contra o pedido da defesa, e dois a favor de Toinha, o TCE manteve a decisão anterior que considerava a ex-prefeita ficha suja.
A irregularidade consta na prestação de contas da prefeitura do município, no exercício de 2003, quando na época Toinha Vieira deixou de aplicar o percentual mínimo de 25%, previsto em lei, na educação municipal, aplicando ao invés do exigido, 22,56%.
O advogado de Vieira, Luiz Pedrazza, entretanto, argumentou junto aos conselheiros que o valor equivalente ao percentual que faltava no ano em questão foi compensado com a aplicação no ano posterior, ou seja, 2004. Argumentação não aceita pela maioria dos conselheiros, inclusive, pelo relator do processo, conselheiro José Augusto de Faria.
A decisão do TCE coloca em xeque a candidatura de Toinha Vieira à prefeitura do município, recém-lançada por PSDB, DEM e PPS.
Ainda na sessão, o Tribunal de Contas condenou o prefeito de Capixaba, Joais Santos (PT), a devolver aos cofres públicos R$ 714 pelo atraso no envio do relatório resumido da execução orçamentária da prefeitura do município, relativo ao 4º bimestre de 2011.

Fonte: Ac24Horas

Após queda de maca, Hildebrando Pascoal é transferido para o HC


HILD
O ex-deputado federal e ex- coronel da PM Hildebrando Pascoal foi transferido, na manhã de ontem (12), para o Hospital das Clínicas. Após sofrer uma queda durante o transporte à Fundação do Bem-Estar Social (Funbesa), local onde ele faz fisioterapia, Hildebrando foi encaminhado ao Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb) para ser atendido.
Hildebrando caiu da maca no momento em que a ambulância do Instituto Penintenciário do Acre (Iapen) fez uma curva. Imediatamente, uma ambulância do Samu o atendeu no local e o encaminhou ao Pronto Socorro.
De acordo com Yotaro Suzuki, diretor-geral do Hospital das Clínicas, Hildebrando está bem. “O estado clínico do Hildebrando é estável. A queda não causou nada de grave ao paciente. Somente algumas escoriações”.
O paciente realizou vários exames e nos próximos dias poderá ser liberado. “O Hildebrando é nosso paciente há anos. Ele só tem doenças comuns na idade que ele está mesmo. Uma é a artrose, por isso está fazendo fisioterapia. No máximo, ele vai ficar mais 2 dias internado”, finalizou Suzuki.
Atualmente, Hildebrando cumpre pena no presídio Antônio Amaro Alves, em regime fechado. Em 2009, o ex-deputado foi condenado por homicídio triplamente qualificado por ter assassinado de maneira brutal Agílson Firmino, o ‘Baiano’.
Fonte: Jornal agazetadoacre.com

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Campeão, Palmeiras chega em SP e desfila em caminhão


Campeã da Copa do Brasil na noite da última quarta-feira, a delegação do Palmeiras chegou a São Paulo na manhã desta quinta (12) no Aeroporto de Congonhas e desfilou em trio elétrico até o CT da Barra Funda, na zona oeste da capital paulistana. Os jogadores e a comissão técnica mal ficaram em Curitiba após a decisão e o empate por 1 a 1 que garantiram o segundo título da equipe na competição nacional. No aeroporto, cerca de 100 torcedores esperava pelo desembarque dos campeões. Leia mais

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Brasil perde da Polônia, fica fora das finais da Liga e tem pior resultado da Era Bernardinho

Giba chega atrasado, Lucão fica sozinho no bloqueio e não pega o ataque de Nowakowski

Aos poucos, a Polônia assume definitivamente o posto de principal algoz do Brasil no vôlei masculino. A equipe europeia, que já havia vencido a seleção verde-amarela em três dos quatro encontros entre os times na primeira fase da Liga Mundial, voltou a derrotar o Brasil nesta quinta-feira, de virada, por 3 sets a 2 (23-25, 25-23, 23-25, 25-17 e 15-11) e eliminou os brasileiros da competição.
A queda nas quartas de final deixou o Brasil em sua pior colocação de campeonato desde que Bernardinho assumiu o comando da equipe, em 2001, e justamente no último torneio preparatório para os Jogos Olímpicos de Londres. Até agora, o quarto lugar na Liga de 2008, também antes da Olimpíada de Pequim, era o recorde negativo do time com o comandante. O resultado ainda repete o que não acontecia desde a Liga de 1998, quando a seleção terminou na quinta posição.

Liga Mundial - Brasil x Polônia




Foto 2 de 8 - Giba disputa bola na rede com dois jogadores poloneses; ponteiro foi titular do time brasileiro no jogo desta quinta-feira (05/07/2012) FIVB/Divulgação
Após a derrota de ontem para Cuba por 3 a 0, o Brasil, que já havia feito uma primeira fase bastante instável e se classificou apenas na condição de segundo melhor colocado, precisava obrigatoriamente vencer a Polônia nesta quinta para seguir na briga por uma vaga nas semifinais da Liga. Entretanto, com vários apagões ao longo da partida, os eneacampeões não resistiram ao ímpeto da nova potência europeia, que vai às semifinais e leva junto os cubanos mesmo com uma rodada de antecedência.
Para o jogo de hoje, Bernardinho fez duas mudanças em relação à equipe que perdeu para Cuba. Dante deu lugar ao capitão Giba e Sidão, possivelmente com dores, saiu para a entrada de Rodrigão. Bruninho, Leandro Vissotto, Lucão, Murilo e Escadinha completaram a equipe. As alterações, porém, surtiram pouco efeito, apesar da boa atuação de Rodrigão.
O equilíbrio visto entre as duas equipes nos três primeiros sets acabou na quarta parcial, depois de um incidente envolvendo Winiarski e Bruninho na rede. O polonês tentou uma bola de xeque e acabou acertando, com a mão, a cabeça do brasileiro. Os ânimos esquentaram, os atletas discutiram na rede, e o time da Polônia se aproveitou da instabilidade emocional do time verde-amarelo para disparar no placar e levar o jogo para o tie-break.
No set desempate, os poloneses mantiveram o bom rendimento e viram os jogadores do Brasil se acanharem cada vez mais em quadra. A Polônia fechou com 15-10 e sacramentou a eliminação brasileira.
Kurek foi o principal pontuador do jogo com 25 acertos. Leandro Vissotto, apesar de ser bloqueado várias vezes e de ter uma atuação irregular, foi quem mais colocou bolas no chão pelo Brasil: 16.

Seis ex-prefeitos do Acre lideram a lista de fichas sujas do TCE e juntos devem R$ 1,6 milhão aos cofres públicos


A correta aplicação dos recursos públicos não vem sendo uma máxima nas últimas administrações públicas dos municípios do Acre, principalmente depois da lei de responsabilidade fiscal. Seis ex-prefeitos lideram a lista de fichas sujas do Tribunal de Contas do Estado. A maioria está condenado a devolver recursos do erário público. A soma dos processos ultrapassa R$ 1,6 milhão. José Altamir Taumaturgo Sá [de Santa Rosa] e Francisco Batista de Souza, o Marezia [de Senador Guiomard], são os campeões em processos.
Marizia teve contas irregulares no período de janeiro a outubro de 2003 em face de a análise técnica complementar ter constatado dano ao erário, correspondente ao excesso ocorrido na remuneração de Secretários, a realização de despesa sem prévio empenho (art. 64, caput, da Lei 4.320/64); b) ausência de controle de entrada e saída de material de consumo e de contabilidade patrimonial (arts. 94 a 100, da Lei 4320/64) e, ainda, a aquisição de material de consumo sem prévio procedimento licitatório (Lei Federal nº 8.666/93).
Constam na lista ainda, a ex-prefeita de  Senador Guiomard, Maria Prado, o ex-prefeito Francisco Vagner de Santana Amorim, o Deda [de Rodrigues Alves] Aurélio de Souza Braga [ex-prefeito de Feijó], Manoel Batista [ex-prefeito de Assis Brasil] Vilseu Ferreira da Silva [ex-prefeito de Acrelândia] e Julio Barbosa [ex-prefeito de Xapuri].
Entre os condenados a devolver recursos, Deda e Manoel Batista, tem processos de devolução que somam mais de um milhão de reais. Juntos, os prefeitos foram condenados a devolver mais de R$ 1,6 milhão. Somente um dos processos de Manoel Batista, ele é condenado a devolver R$ 860.471,97, referente à diferença entre o valor indicado como saldo para o exercício de R$ 1.473.693,14, nas Demonstrações iniciais. O Tribunal de Contas não aceitou as alterações contábeis propostas em face da sua inconsistência e o saldo financeiro confirmado nos extratos bancários e respectivas conciliações na despesa (613.221,17).


Fonte: Ac24horas

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Cientistas podem ter descoberto a maior e mais antiga cratera da Terra


Uma das teorias sobre o desaparecimento dos dinossauros da face da Terra envolve o impacto de um asteroide gigante — de 10 quilômetros — há 65 milhões de anos, que provocou a formação de uma cratera de 180 quilômetros de diâmetro. Contudo, de acordo com o site New Scientist, isso não é nada comparado a uma potencial cratera encontrada na Groelândia.
Embora ainda não tenha sido confirmado, este seria o descobrimento da maior e mais antiga cratera já encontrada no nosso planeta, provocada pelo impacto de um asteroide de, pelo menos, 30 quilômetros, formando uma cratera de 25 quilômetros de profundidade por outros 600 de diâmetro.

Bilhões de anos de erosão

De acordo com os geólogos que a encontraram, tudo o que resta da potencial cratera — depois de bilhões de anos de erosão — é um sítio de aproximadamente 100 quilômetros em uma área pouco habitada e remota do planeta, o que seria a razão pela qual a formação só tenha sido descoberta agora.
Os cientistas afirmam que, entre as várias evidências que encontraram para comprovar a descoberta, a mais clara delas é a presença de rochas semelhantes ao granito, que foram pulverizadas e derretidas de tal forma que, a única explicação de sua formação seria a de um violento e repentino impacto.

Evidências de impacto

Além disso, esse granito “deformado” se encontra espalhado em uma área entre 35 e 50 quilômetros. Segundo explicaram os geólogos, nenhum tipo de processo geológico terrestre conhecido poderia ter provocado uma deformação dessa escala e em uma área tão grande.
A cratera mais antiga — e confirmada — de que se tem notícia é a de Vredefort, localizada na África do Sul, contando com 2 bilhões de anos e 300 quilômetros de diâmetro. A cratera formada pelo asteroide que teria dizimado os dinossauros é a de Chicxulub, localizada na Península do Yucatán, México, com mais de 180 quilômetros de diâmetro e aproximadamente 65 milhões de anos.