quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Santa Rosa recebe assistência emergencial em saúde após enchente

Equipe do Samu embarca criança para receber atendimento médico em Rio Branco (Assessoria Sesacre)

SANTA ROSA DO PURUS - No último sábado, 25, a secretária de Estado de Saúde, Suely Melo, esteve em Santa Rosa do Purus, distante 850 quilômetros da capital Rio Branco, para acompanhar a situação do hospital que está em reforma e a assistência às vítimas da enchente do Rio Acre. Metade do município, que tem cerca de 5 mil habitantes, foi atingida: 25% na zona urbana e 25% na zona rural indígena estão ainda mais castigadas devido ao isolamento. Cerca de 1.700 pessoas ficaram desabrigadas.
Suely Melo se reuniu com a secretária de Saúde do município, Francisca da Silva, o prefeito José Brasil, bombeiros, responsáveis pela saúde indígena e funcionários do hospital. Também estiveram presentes a médica enviada pela Força Nacional do SUS e a equipe do Samu que embarcou com a secretária para treinar pessoal e montar as salas de emergência. Ela ouviu de todos as necessidades para que o novo hospital funcione com qualidade. A reforma do hospital de Saúde da Família deve ficar pronta daqui a um mês e está funcionando provisoriamente na Casa de Cultura.
“O governador é extremamente humano, vamos montar uma sala com o que for preciso para estabilizar o paciente em uma emergência. Eu me coloco à disposição para conseguirmos dar conta dessas demandas”, disse Suely Melo. Durante a visita da secretária, o avião da Força Aérea chegou com os equipamentos novos que ela mandara buscar para o hospital: colchões de cama e de maca, roupas de cama e para os pacientes, aspirador de vias aéreas, cobertores, mantas, fraldas descartáveis, nebulizador, kit para coleta de sangue e suporte para soro.
O município também recebeu um kit de medicamentos enviado pelo Ministério da Saúde. “Esse é um momento muito importante. O fato de ela ter vindo pessoalmente ver a situação e fazer essa contribuição para o hospital nos fortalece”, disse Francisca da Silva.
Saúde traça estratégias de atendimento às vítimas depois das enchentes
Além da entrega de equipamentos Suely Melo conversou com equipe de saúde (Assessoria Sesacre)
Além da entrega de equipamentos Suely Melo conversou com equipe de saúde (Assessoria Sesacre)
A área urbana não está mais alagada e as cerca de 780 pessoas que estavam alojadas em abrigos da prefeitura e casas de familiares já retornaram para suas casas. A água baixa, mas a sujeira fica, e a grande preocupação agora é com as doenças, como leptospirose e hepatite A. Durante a enchente muitos moradores não se protegeram adequadamente com botas e luvas ou mesmo sacos plásticos na hora de retirar a mudança das casas, e após algumas semanas os sintomas começam a aparecer.
Por isso, as vigilâncias epidemiológica e sanitária começaram com as ações de saúde, distribuição de kits de limpeza e filtros de água. Já nas aldeias a situação é diferente. Treze comunidades indígenas foram totalmente atingidas e duas, parcialmente; e as plantações, de onde tiram parte de sua subsistência, foram perdidas. A Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) e a Força Nacional usaram helicóptero para levar sacolões de cesta básica, e a maior urgência no momento é não deixar faltar alimento para essas pessoas. Cerca de 60% da população do município é indígena das etnias Kaxinawá, Kulina e Jaminawa.
“Com a alagação muita gente adoeceu, e a secretária Suely enviou os medicamentos necessários. É o momento que precisamos da ajuda de todos da saúde. Graças a Deus ninguém morreu e agora é cuidar para que ninguém adoeça”, disse o prefeito da cidade, José Brasil.
Santa Rosa recebe assistência emergencial em saúde após enchente
A Sesacre também preparou spots de orientação de saúde e dos cuidados na volta para casa para serem veiculados nas rádios dos municípios atingidos ou em carros-volantes. A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Obras Públicas (Seop) também esteve no município avaliando a situação após a enchente.
No lugar certo e na hora certa
Ao chegar ao hospital de Santa Rosa, a equipe do Samu, que acompanhou a visita da secretária, encontrou uma criança peruana de apenas cinco meses diagnosticada com broncopneumonia pela médica da Força Nacional do SUS, que está no local. A situação dela era bem delicada e respirava com auxílio de oxigênio.
A pequena Ágata estava acompanhada da mãe, uma jovem de 16 anos, do pai, de 18, e da avó, todos moradores de Palestina, um povoado peruano. A equipe decidiu que ela deveria vir para um hospital de Rio Branco e a embarcou no mesmo voo que trouxe a equipe da secretaria de volta à capital.
“A nossa vida é assim: toda hora uma situação inesperada. Encontramos esse bebê e pudemos salvar sua vida. A prioridade do socorrista é o equilíbrio, e felizmente chegamos no momento certo”, disse aliviada a enfermeira assistencial do Samu Solange Sousa.

Fonte: Agência de Notícia do Acre

Ministério da Integração doa dez mil cestas básicas ao Acre

Nesta terça-feira, 28, o vice-governador César Messias, que coordena a distribuição dos cinco mil sacolões comprados pelo governo do estado, foi à Santa Rosa acompanhar a entrega dos alimentos aos índios (Angela Peres/Secom)


O Ministério da Integração doou ao governo do estado do Acre dez mil cestas básicas para atender as vítimas da alagação. Uma logística foi montada para a distribuição dos sacolões às famílias, das áreas urbana e rural da capital, e dos municípios atingidos. Uma atenção especial está sendo dispensado aos indígenas, principalmente de Santa Rosa, onde 16 aldeias foram alagadas e toda a produção foi destruída.
Das cestas doadas pelo governo federal através da Defesa Civil Nacional, duas mil estão prontas e serão trazidas de Rondônia. As outras oito mil, explica Armin Braun, já foram liberadas, mas o governo está buscando um depósito mais próximo da região para agilizar a entrega e diminuir os custos com transportes. Nesta terça-feira, 28, o vice-governador César Messias, que coordena a distribuição dos cinco mil sacolões comprados pelo governo do estado, foi à Santa Rosa acompanhar a entrega dos alimentos aos índios.
“Foi muito triste ver a situação em que se encontravam, pois os roçados, as plantações, foi tudo levado pelas águas. Eles vão precisar de assistência por um período de seis a oito meses, pois até lá não terão como se alimentar. Nós criamos uma espécie de carteirinha para o controle das famílias e a cada 15 dias eles receberão uma cesta alimentícia”, disse o vice-governador César Messias. O assessor especial do gabinete civil para os Povos Indígenas, Zezinho Kaxinawá, está em Santa Rosa para auxiliar neste trabalho, inclusive na comunicação utilizando o dialeto que falam.
O vice-governador receia que existam mais índios que os 762 registrados pela Funai e pediu que um barco faça o trajeto entre Santa Rosa e Manoel Urbano para confirmar a informação e identificar também os ribeirinhos que foram atingidos e em que situação se encontram.
Famílias ribeirinhas de Santa Rosa do Purus já estão recebendo ajuda do Ministério da Integração
 Situação das Aldeias Indígenas do Município de Santa Rosa do Purus 
 Desastre natural, o nosso planeta vive o aquecimento que os homens causam com transmissão de gases e outros elementos poluível.
  
 Cerca de 17 Aldeias do Município de santa Rosa do Purus foram afetadas pelas enchentes



terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Globo terá os direitos de transmissão das Copas do Mundo de 2018 e 2022

FAMOSIDADES
RIO DE JANEIRO - A Rede Globo adquiriu, junto à FIFA, os direitos para transmitir as Copas de 2018 e 2022, que acontecerão na Rússia e no Catar, respectivamente.
De acordo com uma nota divulgada pela emissora na manhã desta terça-feira (28), o acordo prevê transmissão por televisão aberta, fechada, celulares e internet. A Globo ainda poderá repartir esses direitos com outras emissoras, assim como acontecerá no Mundial do Brasil, em 2014, quando dividirá com a Rede Bandeirantes a transmissão.
O alcance da emissora carioca foi um dos pontos que favoreceu a escolha, segundo o secretário-geral da FIFA, Jérôme Valcke. “A força da Globo com sua penetração no vasto território do Brasil garante que o torneio seja acompanhado pelo maior número de pessoas possível e foi um fator determinante para a nossa decisão de renovar o nosso acordo”, falou.

Governador reitera apoio e solidariedade a prefeitos de municípios que sofreram com a alagação

Para Tião Viana é importante garantir linhas de crédito (Sérgio Vale/Secom)
A vazante do rio revela costuma revelar a outra face de uma enchente: ruas intrafegáveis, casas destruídas, comércios que desmoronaram e, em muitos casos, o patrimônio de uma vida inteira devastado.
Foi para repactuar o compromisso do governo do Estado com as prefeituras das cidades que sofreram com a ação dos rios que o governador Tião Viana se reuniu com os prefeitos na tarde desta segunda-feira, 27. Os gestores municipais agradeceram o apoio que o governo está prestando e falaram das dificuldades que enfrentam.
Brasileia foi o município que mais sofreu as consequências da alagação. O rio, que correu por dentro da cidade durante três dias, deixou ruas e casas destruídas. A prefeita Leila Galvão está na fase de limpeza das ruas, prédios públicos e casas. Muitas famílias perderam tudo o que tinham, inclusive a moradia.
O governador Tião Viana falou do esforço em relação aos recursos para socorro, assistência e reconstrução do que foi danificado. “Esse momento não estava previsto, mas estamos num processo de recuperação dos municípios. Em Rio Branco já planejamos o dia seguinte, o primeiro dia após a vazante, mas nas outras cidades isso não foi possível dada a rapidez com que aconteceu”, explicou.
O mais relevante, segundo Tião Viana, é garantir linhas de crédito que possibilitem o recomeço, tanto para pequenos e médios comerciantes quanto para produtores rurais, ribeirinhos e famílias da área urbana que perderam fogão e geladeira, entre outros utensílios, e precisam de um ponto de partida para reerguer a vida.
Marina Silva participa da reunião e diz que está fazendo contato com embaixadas (Sérgio Vale/Secom)
Marina Silva participa da reunião e diz que está fazendo contato com embaixadas (Sérgio Vale/Secom)A Associação de Municípios do Acre (Amac) colocou as equipes técnicas à disposição para ajudar as prefeituras na elaboração de projetos necessários para a captação de recursos.
 A ex-senadora Marina Silva participou da reunião e explicou aos gestores a forma como está contribuindo, como cidadã, com a situação que o Acre enfrenta. “Estamos atuando em três frentes: o contato com as embaixadas de vários países, com grandes empresas - que nos ajudarão com produtos de limpeza e alimentos não-perecíveis, e com as igrejas evangélicas de Brasília, onde estamos coletando roupas”, declarou.
Os municípios atingidos pela alagação foram Assis Brasil, Brasileia, Xapuri, Plácido de Castro, Porto Acre, Manuel Urbano e Sena Madureira, além da capital, Rio Branco.

Enchente: É visível os estragos causados pela enchente do Rio Purus

Cidade esburacada, pavimentação destroidas
as águas aos poucos vai descendo rumo a outras cidades e causando mais destruição.
  
Retrato da fúria das águas
Barranco descoberto, é hora de começar reconstruir a parte baixa da cidade 
Residência tombada pela força das águas

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Alíquotas do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte - a partir do exercício de 2012


Rendimentos do Trabalho:
Tabelas Progressivas para o cálculo mensal do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física para o exercício de 2012, ano-calendário de 2011.a) nos meses de janeiro a março:

Base de cálculo mensal em R$

Alíquota %

Parcela a deduzir do imposto em R$
Até 1.499,15
-

-
De 1.499,16 até 2.246,75
7,5

112,43
De 2.246,76 até 2.995,70
15,0

280,94
De 2.995,71 até 3.743,19
22,5

505,62
Acima de 3.743,19
27,5

692,78
b) nos meses de abril a dezembro:

Base de cálculo mensal em R$

Alíquota %

Parcela a deduzir do imposto em R$
Até 1.566,61
-

-
De 1.566,62 até 2.347,85
7,5

117,49
De 2.347,86 até 3.130,51
15,0

293,58
De 3.130,52 até 3.911,63
22,5

528,37
Acima de 3.911,63
27,5

723,95
Tabela Progressiva para o cálculo mensal do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física para o exercício de 2013, ano-calendário de 2012.

Base de cálculo mensal em R$

Alíquota %

Parcela a deduzir do imposto em R$
Até 1.637,11
-

-
De 1.637,12 até 2.453,50
7,5

122,78
De 2.453,51 até 3.271,38
15,0

306,80
De 3.271,39 até 4.087,65
22,5

552,15
Acima de 4.087,65
27,5

756,53
Tabela Progressiva para o cálculo mensal do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física para o exercício de 2014, ano-calendário de 2013.

Base de cálculo mensal em R$

Alíquota %

Parcela a deduzir do imposto em R$
Até 1.710,78
-

-
De 1.710,79 até 2.563,91
7,5

128,31
De 2.563,92 até 3.418,59
15,0

320,60
De 3.418,60 até 4.271,59
22,5

577,00
Acima de 4.271,59
27,5

790,58

Tabela Progressiva para o cálculo mensal do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física a partir do exercício de 2015, ano-calendário de 2014.


Base de cálculo mensal em R$

Alíquota %

Parcela a deduzir do imposto em R$
Até 1.787,77
-

-
De 1.787,78 até 2.679,29
7,5

134,08
De 2.679,30 até 3.572,43
15,0

335,03
De 3.572,44 até 4.463,81
22,5

602,96
Acima de 4.463,81
27,5

826,15
Rendimentos de Capital:Fundos de longo prazo e aplicações de renda fixa, em geral:

- 22,5% para aplicações com prazo de até 180 dias;
- 20,0% para aplicações com prazo de 181 até 360 dias;
- 17,5% para aplicações com prazo de 361 até 720 dias;
- 15,0% para aplicações com prazo acima de 720 dias;
Fundos de curto prazo:
- 22,5% para aplicações com prazo de até 180 dias;
- 20,0% para aplicações com prazo acima de 180 dias;
Fundos de ações:
- 15%;
Aplicações em renda variável:
- 0,005%;
Remessas ao Exterior: 25% (rendimentos do trabalho, com ou sem vínculo empregatício, aposentadoria, pensão por morte ou invalidez e os da prestação de serviços, pagos, creditados, entregues, empregados ou remetidos a não-residentes) e 15% (demais rendimentos de fontes situadas no Brasil); e
Outros Rendimentos: 30% (prêmios e sorteios em dinheiro), 20% (prêmios e sorteios sob a forma de bens e serviços), 1,5% (serviços de propaganda) e 1,5% (remuneração de serviços profissionais).

Lei da Ficha Limpa pode ser valida para o executivo. Projeto é da Câmara dos Deputados

Imagem 868
Estabelecida pelo Supremo Tribunal Federal a validade da Lei da Ficha Limpa para as eleições municipais deste ano, o Congresso Nacional trabalha agora para que ela seja aplicada também a cargos do Poder Executivo. Tramita na Câmara dos Deputados uma poposta de emenda à Constituição (PEC) pela qual as pessoas consideradas inelegíveis segundo os critérios desta lei também sejam impedidos de assumir postos em ministérios, secretarias estaduais ou prefeituras, bem como cargos de chefia em órgãos da administração direta. A informação é da Agência Brasil.
No Acre, Lei semelhante chegou a ser apresentada pelo deputado Luiz Tchê [PDT], mas por pressão do Gabinete do governador Tião Viana, ela nem chegou a tramitar nas comissões da Assembleia Legislativa do Acre. A exemplo da PEC do deputado federal Sandro Alex, Tchê queria evitar que políticos que ficariam fora da vida pública por meio de cargos eletivos sejam acomodados no Poder Executivo em função das alianças partidárias. O deputado federal Sandro Alex afirmou que hoje, há candidatos ficha suja ganhando como prêmio de consolação cargos mais importantes no Executivo.
Como anda meio rebelde, é possível que o deputado Tchê, que integra a base governista,  tire a lei da gaveta e apresente novamente este ano. O projeto conta com o apoio do deputado Major Rocha, do PSDB.
A Lei da Ficha Limpa teve iniciativa popular e foi aprovada pelo Congresso Nacional em 2010, alguns meses antes das eleições gerais daquele ano. Diversos candidatos eleitos não tomaram posse em 2011 com base nos artigos da lei que consideram inelegíveis aqueles que foram condenados por órgão colegiado (segunda instância) por crimes hediondos, crimes contra o patrimônio público e improbidade administrativa, entre outros.

Tião Viana faz quarta visita à Brasiléia juntamente com senador Jorge Viana

Governador irá se reunir com classes na sexta-feira (2) para anunciar ajuda
tiao_e_jorge_na_enchente
IMG_0727IMG_0771
O governador do Acre, Tião Viana, juntamente com o senador Jorge Viana e assessores do Governo, estiveram na cidade de Brasiléia para ver de perto, como se encontra sua cidade natal depois de ser assolada por uma enchente que praticamente destruiu o centro comercial e várias residências.
Desta vez, Tião contou com o apoio do governador de Pando, que emprestou alguns caminhões de máquinas para ajudar na retirada dos entulhos que foram jogados para fora das casas e que não prestam para mais nada.
Novamente, o governador visitou áreas mais afetadas e o hospital de Brasiléia que foi parcialmente interditado. Tião Viana juntamente com sua comitiva, vem contando com o apoio de uma aeronave do Exercito Brasileiro para poder chegar nas cidades atingidas pela alagação.
Segundo Tião Viana, que já veio pela quarta vez à Brasiléia, disse que o Governo estará junto às pessoas que foram atingidas e irão ajudar de alguma forma, com o apoio de Brasília. Comunicou que estará se reunindo com representantes de várias classes para anunciar o apoio oficialmente.
Em relação ao anuncio oficial de calamidade pública, o Assessor Especial da Juventude do Governo, André Kamai, disse que se espera a publicação no Diário Oficial, juntamente com outros dois municípios que também foram atingidos pela enchente, para que se possa trabalhar com mais rapidez em levar ajudar aos desabrigados.

Fonte> Ac24horas

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Ministro da Integração Nacional libera R$ 5 milhões para o Acre

Os ministros da Integração Nacional, Fernando Bezerra, e das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, e a secretária nacional de Habitação, Inês Magalhães, desembarcaram no Acre na manhã de ontem para verificar a situação que o governo do Estado e as prefeituras enfrentam com a enchente do Rio Acre.
Os ministros e a secretária nacional, acompanhados pelo governador Tião Viana, fizeram sobrevoo nas áreas atingidas pela enchente na capital acreana, depois verificaram de barco a situação de áreas alagadas.
O governador Tião Viana mostrou à equipe do governo federal a situação que se encontra o bairro Taquari, um dos mais atingidos pela enchente. Os ministros e a secretária nacional puderam verificar que, mesmo com o nível do rio acima da média, há moradores que têm casas elevadas e preferem permanecer no local.

No fim dessa vistoria, o ministro Aguinaldo Ribeiro afirmou que, em nome da presidente Dilma Rousseff, está trazendo ao Acre a solidariedade do governo federal. “Estivemos agora com o governador vendo a situação desse bairro e o sentimento é de solidariedade. Pudemos ver que nesse caso há a presença do poder público perto do povo, levando ações que nessa hora o povo tanto precisa. Agora, precisamos dar continuidade a esse processo”, disse o ministro das Cidades.
Aguinaldo Ribeiro destacou que o governo federal tem estado presente no Acre nesse momento por meio de diversos ministérios, apoiando o Estado. “Nessa parceria entre os governos federal, estadual e as prefeituras, nós estaremos, sem dúvida nenhuma, vencendo as dificuldades. O que aconteceu é lamentável, mas nós temos que enfrentar juntos”, frisa Ribeiro.

Apoio, solidariedade e recursos

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, afirmou que sua vinda ao Estado tem dois motivos principais. O primeiro, de acordo com ele, é trazer a solidariedade da presidente Dilma e de toda a equipe do governo federal. Bezerra pontuou que nesse momento o Acre tem a presença de nove ministérios e quase 800 homens das Forças Armadas apoiando a Defesa Civil do Estado e as municipais. Ele destacou que o Estado está diante da maior inundação da sua história, com mais de 80 mil pessoas atingidas e mais de 17 mil desabrigadas.
especial_250212_2.jpg
“É um esforço de guerra coordenado pelo governo do Acre e pelo governo federal para que, nesse primeiro momento, possamos assistir essas pessoas com alimentos, água e, sobretudo, segurança”, disse Fernando Bezerra. Após a vistoria da situação no bairro Taquari, o ministro da Integração Nacional anunciou o segundo motivo de sua vinda ao Acre. Bezerra informou que a presidente Dilma Rousseff autorizou a liberação de R$ 2 milhões para a prefeitura de Rio Branco e R$ 3 milhões para o governo do Estado.
“Esses recursos estarão creditados na segunda-feira próxima nas contas dos governos estadual e municipal e, nós vamos continuar acompanhando, com a presença da Força Nacional de Saúde, do Grupo de Apoio a Desastres do Ministério da Integração e, se necessário for, liberaremos novos recursos para que neste momento mais crítico nada possa faltar às autoridades no sentido de melhor assistir e atender as necessidades da população”, assegurou o ministro da Integração Nacional.

Ampliação em prevenção serão o próximo passo

Fernando Bezerra observou que, num segundo momento, serão discutidas as demandas relativas à reconstrução. “A gente viu no sobrevoo, sobretudo nesta vistoria pelo rio, que certamente aqui vai se exigir enorme esforço de recursos. Não só em Rio Branco, mas em outras cidades do Acre. E vamos continuar insistindo na orientação da presidente Dilma de ampliar os investimentos na prevenção”, avisou.
Para que sejam implementadas ações de prevenção, o ministro explica que serão identificadas áreas que estejam sujeitas a novas recorrências de inundação. “Para que programas habitacionais possam ser desenvolvidos no sentido de relocar essas populações e, assim, a gente possa minimizar na ocorrência de novos desastres naturais e novas inundações como essa, objetivando minimizar também os efeitos e consequências”, detalhou Bezerra.

Gratidão ao apoio ao povo do Acre

Ao encerrar a agenda com os ministros das Cidades e Integração Social e com a secretária nacional da Habitação, o governador Tião Viana declarou aos representantes do governo federal sua total gratidão por prestarem apoio ao Acre nesse momento crítico, em que a enchente desabriga milhares de acreanos e causa prejuízos em vários setores.
Tião Viana solicitou que os ministros Aguinaldo Ribeiro e Fernando Bezerra levassem seu agradecimento pessoal e em nome do povo do Acre à presidente Dilma Rousseff, por se mostrar tão disposta a ajudar o Estado e, nesse primeiro momento, sinalizar com a liberação urgente de R$ 3 milhões para o Estado e R$ 2 milhões para o município.
“Nossas despesas começam em R$ 12,5 milhões para enfrentar esse transtorno que estamos vivendo. A população sofre muito com a perda incalculável de bens materiais, de pequenos negócios, de pequenos comerciantes, de agricultores, e nós temos que lutar muito. Graças a Deus, encontramos aqui um grande gesto do governo da presidente Dilma de solidariedade e de apoio”, assinala Tião Viana.
O governador também agradeceu aos ministros por virem ao Acre e verificar in loco a situação que o Estado e as prefeituras estão enfrentando com a enchente, que já atinge quase 90 mil pessoas em todo o Acre.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Ministro da Integração Nacional vem ao Acre nesta sexta-feira

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, virá ao Acre nesta sexta-feira, 24, para acompanhar a situação das enchentes dos rios (Divulgação)
O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, vem ao Acre nesta sexta-feira, 24, para acompanhar a situação da enchente dos rios, que já atinge mais de 65 mil pessoas em nove cidades. O ministro deverá sobrevoar áreas alagadas junto com o governador Tião Viana e o chefe da Defesa Civil Nacional, Armin Braun. Há 16.798 pessoas alojadas em abrigos públicos, 5.551 somente na capital Rio Branco. No boletim divulgado ao meio-dia pela Defesa Civil, o nível do Rio Acre manteve a medida de 17,50 metros, a mesma verificada às 9 horas de hoje.
Todo o trabalho de prestação de socorro à população das áreas urbanas e rurais e que está nas comunidades indígenas e ribeirinhas é desenvolvido em parceria entre as prefeituras, governo do Estado e governo federal. Exército, Aeronáutica, Força Nacional, servidores públicos e voluntários ajudam na retirada de famílias das regiões alagadas. Três aeronaves (um avião Hércules da FAB e dois helicópteros) percorrem os municípios levando mantimentos e remédios. A presidente Dilma Rousseff anunciou a liberação de R$ 1 milhão, que será usado para a compra de alimentos, água potável, produtos de higiene e limpeza.
Além dos municípios do vale do Rio Acre (Assis Brasil, Xapuri, Brasileia, Epitaciolândia, Porto Acre e Rio Branco), estão sendo afetados pelas enchentes as cidades de Cruzeiro do Sul, banhada pelo Rio Juruá; Santa Rosa do Purus e Manoel Urbano, pelo Rio Purus; e Sena Madureira, pelo Rio Iaco. Na desembocadura do Rio Acre, já em Boca do Acre (AM), a água está fluindo desde ontem quando o Rio Purus começou a baixar, evitando o represamento.
A Secretaria de Educação de Rio Branco atualizou na manhã desta quinta-feira, 23, o número de escolas fechadas por conta da cheia do Rio Acre e seus afluentes.  Já são 15 escolas atingidas, sendo duas rurais, totalizando 3.351 alunos afetados pela alagação. As escolas não atingidas funcionam normalmente nas redes estadual e municipal. A  prefeitura de Rio Branco optou por  não decretar  ponto facultativo.
O governo do Acre decretou ponto facultativo nesta quinta-feira e somente órgãos públicos e serviços essenciais das áreas de saúde, segurança e educação estão funcionando. No balanço de hoje, a Secretaria de Educação do Estado contabilizou 20 escolas urbanas e uma rural atingidas pela enchente do Rio Acre. As aulas foram suspensas também nas unidades de ensino administradas pelo município de Rio Branco, onde estudam mais de três mil alunos

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Rio Purus vasa, mais Santa Rosa do Purus vive o causo da alagação

 Muita lama depois que as águas do Purus baixaram, agora a preocupação da Prefeitura é com a limpeza da Cidade que se encontra em meio lamaçal, prosperando doenças as famílias atingidas pelas águas.
 Cercas e quintais foram alavancados pelas águas 
 Rua Profiro de Moura

Sobrinho põe fim a vida de tio em Manuel Urbano a mando da irmã da vitima

Um agricultor de 37 anos foi assassinado pelo próprio sobrinho no bairro Olária, em Manuel Urbano. A polícia já prendeu o acusado  que foi conduzido para ser ouvido e responder pela autoria do crime.
Segundo informações de populares Antonio Alves  que é colhedor de açaí, a uns meses atrás havia agredido a mãe do acusado a senhora  Maria das Dores e a mesma havia prometido vingança através de seu filho Celso Menezes de 24 anos, tanto o filho quanto a mãe não guardavam segredo quanto as suas reais intenções.
O CRIME.
De acordo com informações da policia, o agricultor Antonio Alves de posse de facão, seu instrumento de trabalho, saiu de casa para se dirigir a uma plantação de Açaí no interior, passava em frente ao Bar da Lora que fica no Bairro do Olaria no município de Manuel Urbano, o acusado que é sobrinho, tomou o facão da vitima e começou a golpeá-lo, depois evadiu-se do local.
Uma guarnição da  Polícia Militar agiu rápido e prenderam em flagrante Celso Menezes que é sobrinho legítimo da vítima, a senhora Maria das Dores a irmã de Antonio Alves ( a vítima)pode ser presa a qualquer momento se as investigações apontarem para sua participação como mandante do homicídio do próprio Irmão.
Fonte: Ac24Horas

Famílias de Santa Rosa e da Transacreana recebem cestas básicas

O governo dá prosseguimento ao trabalho de ajuda aos desabrigados pela enchente. Na tarde desta quarta-feira, 22, dois aviões saíram de Rio Branco com destino a Santa Rosa do Purus carregados com cestas básicas. Nesta localidade além das 100 famílias desabrigadas ou ilhadas, outras seis aldeias indígenas também estão alagadas. 
“Estamos recebendo as doações e montando as cestas básicas. Neste primeiro momento os donativos serão entregues às famílias ribeirinhas. Depois de suprir as necessidades emergênciais vamos realizar o trabalho de cadastramento das pessoas e também da produção que foi alagada”, destacou o secretário de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar, Lourival Marques, que acompanhou o carregamento da aeronave.
Os desabrigados do Projeto de Assentamento Barro Alto também irão receber hoje cestas básicas. O transporte destes insumos está sendo realizado com o apoio da Força Aérea Brasileira que disponibilizou ao Acre um helicóptero e uma aeronave Hércules.

Chegam ao Acre 43 homens do Corpo de Bombeiros de Brasília

Para reforçar o apoio as operações de ajuda aos desabrigados 43 homens do Corpo de Bombeiros de Brasília chegaram a Rio Branco na manhã desta quarta-feira (Val Fernandes)
Para reforçar o apoio as operações de ajuda aos desabrigados 43 homens do Corpo de Bombeiros de Brasília chegaram a Rio Branco na manhã desta quarta-feira, 22, na aeronave Hércules C130 da Força Aérea Brasileira. “Força Brasil” foi à frase pronunciada pelo comando em forma ao descer da aeronave.
A equipe que é subordinada ao Departamento da Força Nacional de Segurança Pública, da Secretaria Nacional de Segurança Pública, do Ministério da Justiça, é composta por especialistas em várias áreas: resgate aquático, busca de pessoas perdidas, defesa civil, tripulantes operacionais, resgate em altura e outras. Além da tripulação, foram enviadas 25 barracas da Defesa Civil vindas do Rio de Janeiro, que serão utilizadas para abrigar pessoas, além de macas, pranchas e outros materiais.
Além de atenderem as demandas de resgate e atendimentos aos desabrigados, a equipe também estará reforçando a entrega das cestas básicas para as populações isoladas (Val Fernandes)
Além de atenderem as demandas de resgate e atendimentos aos desabrigados, a equipe também estará reforçando a entrega das cestas básicas para as populações isoladas (Val Fernandes)
Além de atenderem as demandas de resgate e atendimentos aos desabrigados, a equipe também estará reforçando a entrega das cestas básicas para as populações isoladas (Val Fernandes)
Além de atenderem as demandas de resgate e atendimentos aos desabrigados, a equipe também estará reforçando a entrega das cestas básicas para as populações isoladas nos municípios atingidos. Todas as estratégias das ações aéreas para ajuda aos desabrigados estão sob o comando do Coronel Aviador Alencastro da Aeronáutica. Ele que é Chefe Maior do 7º Comando Aéreo Regional, coordena as ações administrativas e logísticas da Força Aérea no Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima.
Na região já foram feitos dois voos da aeronave 65 Amazonas transportando equipe da Força Nacional, que se juntarão aos 43 bombeiros que chegaram hoje. Para amanhã estão previstos mais dois voos de C130, de Porto Velho e Guajará Mirim (RO), transportando militares do exército brasileiro para auxiliar na questão da segurança.
“Os helicópteros estão sendo empregados no sentido de distribuir com maior rapidez o apoio às populações carentes. Nosso objetivo maior, nesta operação, é o atendimento aos desabrigados em todo o Acre. Hoje já tivemos o apoio com a decolagem dos helicópteros do Ibama e do exército brasileiro, o black hawk, e temos previsto a chegada ainda hoje a tarde do HH da Força Aérea Brasileira. As equipes ficarão no Acre até quanto for necessário o apoio. Estamos à disposição da população do Acre”, comentou o Coronel Aviador Alencastro.