sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Estudante morre ao ter orgasmo ininterrupto de 12 minutos com amiga

O delegado disse, em conversa com a reportagem de G17, que a amiga da vítima poderá responder por homicídio sem intenção de matar.

Um caso raro resultou na morte da estudante Bianca Bezerra Borges, 21 anos, de Belém (PA), que entrou em transe, ao ter um orgasmo prolongado por 12 minutos, e acabou indo a óbito. A jovem estava tendo uma “relação oral” com uma amiga de faculdade. O hospital que recebeu Bianca confirmou que o orgasmo ininterrupto de 12 minutos foi a causa da morte.
“Ela segurou forte o colchão com as unhas enfincadas, abriu a boca em forma de “Ó”, e as pupilas dos olhos ficaram girando, dando voltas, como se estivessem soltas dentro dos olhos dela”, contou a amiga que estava presente durante a tragédia.
A amiga contou também que, começou a desconfiar quando, aos 10 minutos, Bianca continuava na mesma posição, olhos revirando, e com a boca aberta gritando alto. “Aos doze minutos ela apagou, e eu corri atrás de      uma ambulância”, disse a amiga.
A pedido da família, a polícia vai investigar o caso. O delegado disse, em conversa com a reportagem de G17, que a amiga da vítima poderá responder por homicídio sem intenção de matar, se ficar comprovado, através de laudos, que ela foi a responsável em fazer a amiga sentir orgasmo por 12 minutos sem parar.



MANOEL URBANO PRÓXIMO DA INTEGRAÇÃO

Manuel Urbano já não sofre mais com o isolamento rodoviário durante o inverno. Quarenta anos depois de seu início, a BR-364 agora oferece amplas condições de tráfego de Rio Branco a Sena Madureira e dali a Manuel Urbano. Os usuários podem utilizar a ponte sobre o rio Purus, que fica a 14 quilômetros do centro de Manuel Urbano, que está em fase de conclusão.

Foto: Aérea da Ponte do Rio Purus
Trecho Sena Madureira para Manoel Urbano

Com 477 metros de comprimento, a ponte é atualmente a maior do Acre. Quando a do rio Juruá for inaugurada, será a segunda em extensão. O governador Binho Marques a batizou de "Ponte da Liberdade", uma alusão a um dos discursos que fez há quatro anos, na assinatura da ordem de serviço para asfaltamento do trecho de Feijó a Sena Madureira, ato ocorrido em Cruzeiro do Sul.
Binho afirmou que a rodovia poderia ser chamada de "Estrada da Liberdade", devido a sua importância na integração do Acre. A ponte sobre o Purus, no momento em que está liberada ao uso público, e as excelentes condições do trecho de Sena Madureira até Manuel Urbano fazem uma via lúdica e ao mesmo tempo real de libertação.
A BR-364 e suas pontes que intercalam seu curso são um sonho do que começou a ser realizado em 1971, quando a BR-29, depois chamada BR-364, começou a ser aberta pelo 5º e 7º Batalhões de Engenharia e Construção do Exército Brasileiro. As pontes não estavam previstas no projeto original e Binho Marques deu início a um processo de convencimento que, apesar da resistência dos técnicos nos ministérios em Brasília, contou com o apoio decisivo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Amigo do Acre, Lula fez a seguinte observação sobre a necessidade de pontes de qualidade na BR 364: “Uma estrada sem pontes é como uma perna sem joelho”. Com Lula e o compromisso de Binho com a integração do Estado, perto de R$ 1 bilhão foi investido na BR nos últimos quatro anos.
Binho visitou a ponte do Purus nesta quinta-feira, 23, liderando uma caravana de secretários de Estado, autoridades civis e militares, deputados estaduais da atual e da próxima legislatura e também do senador recém-empossado Aníbal Diniz. A visita marcou a ligação definitiva de Rio Branco a Sena Madureira e Manuel Urbano.
Nos próximos 45 dias, serão feitos os serviços remanescentes nessa ponte, conforme informou Marcos Alexandre, diretor do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem, Hidrovias e Infraestrutura Aeroportuária do Acre (Deracre), ao lembrar os desafios para tocar a obra - um barco afundado havia décadas impedia a implantação de uma pilastra, e a cabeceira do rio na margem sentido Sena Madureira não oferecia condição de fazer aterro menor que 12 metros de altura, mas os engenheiros encontraram uma solução e o aterro é de 6,5 metros.
O governador Binho Marques estava especialmente feliz por ter percorrido de ônibus o trecho de Rio Branco à ponte do Purus, confirmando que a estrada realmente oferece todas as condições de tráfego, assim como a ponte, mesmo não estando completamente pronta, pode ser liberada para a passagem de veículos. Binho falou sobre a importância da BR-364 para o desenvolvimento do Acre: “Não existe mais contradição entre a obra da BR-364 e o nosso projeto de desenvolvimento sustentável”.

Um comentário: