quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Dia de finados

O Dia de Finados é o dia da celebração da vida eterna das pessoas queridas que já faleceram. É o Dia do Amor, porque amar é sentir que o outro não morrerá nunca.
É celebrar essa vida eterna que não vai terminar nunca. Pois, a vida cristã é viver em comunhão íntima com Deus, agora e para sempre.
Desde o século 1º, os cristãos rezam pelos falecidos; costumavam visitar os túmulos dos mártires nas catacumbas para rezar pelos que morreram sem martírio. No século 4º, já encontramos a Memória dos Mortos na celebração da missa. Desde o século 5º, a Igreja dedica um dia por ano para rezar por todos os mortos, pelos quais ninguém rezava e dos quais ninguém se lembrava.
Desde o século XIII, esse dia anual por todos os mortos é comemorado no dia 2 de novembro, porque no dia 1º de novembro é a festa de "Todos os Santos".
O Dia de Todos os Santos celebra todos os que morreram em estado de graça e não foram canonizados. O Dia de Todos os Mortos celebra todos os que morreram e não são lembrados na oração.

Mistão do Vasco perde para o Universitario e sai atrás nas quartas

O time misto do Vasco não fez uma boa partida e acabou derrotado por 2 a 0 pelo Universitario do Peru em jogo disputado na noite desta quarta-feira, no Estádio Nacional, em Lima.


O jogo da volta vai acontecer no dia 9 de novembro, em São Januário, e a equipe brasileira vai precisar de uma vitória por três gols de diferença para assegurar a passagem para as semifinais da Copa Sul-americana. O time peruano pode perder por um gol de diferença para ficar com a vaga. O classificado deste duelo vai encarar nas semifinais quem passar no duelo entre Vélez Sarsfield, da Argentina, e Independiente Santa Fé, da Colômbia.
O resultado desta quarta fez justiça ao melhor desempenho da equipe peruana, que mostrou mais agressividade durante os 90 minutos. Já o Vasco, escalado com muitos reservas, teve uma atuação muito irregular e ainda teve a infelicidade de contar com más atuações de Diego Souza e Bernardo.
O jogo - O Universitario começou a partida no ataque, apoiado por uma torcida entusiasmada. Sempre atacando pelo lado esquerdo, o time mandante pressionava em busca do primeiro gol, enquanto o Vasco tentava impor um ritmo mais lento para tentar diminuir o entusiasmo do adversário.
Aos sete minutos, Flores recebeu nas costas da zaga vascaina e cruzou para Ruidiaz completar mas o o goleiro Fernando Prass fez boa defesa, evitando o primeiro gol da equipe da casa. A pressão continuou e aos dez minutos, Vitti recebeu na entrada da área e chutou. A bola bateu na zaga e volta para Vitti, que tentou outra vez mas a bola saiu à direita do gol defendido por Fernando Prass.
A equipe de São Januário só deu o primeiro sinal de vida aos 16 minutos. Depois de cruzamento de Julinho, a bola bateu em um jogador peruano e sobrou para Diego Souza, livre, na entrada da área, mas o meia isolou a bola. Aos 20 minutos, em rápida troca de passes, Bernardo lançou Diego Souza que tocou para Allan penetrar na área e chutar para fora.
O jogo ficou mais equilibrado e aos 21 minutos, Ruidíaz cruzou da direita e Fano, de cabeça, desviou de Fernando Prass mas Nilton salvou na linha do gol. Aos 30 minutos, o time carioca saiu jogando errado e o Universitário armou jogada perigosa que terminou com um chute de Fano bem defendida pelo goleiro vascaíno.
A equipe de São Januário encontrava dificuldades para entrar na área com a bola dominada e apelava para chutes de média distância como aconteceu aos 31 minutos em chute de Felipe Bastos que foi bem defendido pelo goleiro Llontop.
Aos 36 minutos, Torres invadiu a área pela direita e foi derrubado por Diego Rosa. O árbitro marcou pênalti provocando muitos protestos dos jogadores da equipe carioca. Ruidíaz cobrou a penalidade com um chute forte sem dar qualquer chance de defesa para Fernando Prass. A equipe peruana quase ampliou aos 43 minutos. Flores recebeu bom passe de Ruidíaz, entrou pela esquerda e tocou na saída de Fernando Prass. Nilton, novamente bem colocado, evitou o segundo gol peruano.
No final do primeiro tempo, Bernardo entrou de forma violenta em um jogador peruano, provocando confusão entre jogadores das duas equipes.
O Vasco voltou para o segundo tempo sem modificações mas o Universitario continuou mais agressivo, tentando aproveitar os espaços deixados pela defesa cruzmaltina. Aos seis minutos, Bernardo foi derrubado na entrada da área. Ele mesmo cobrou com um chute forte que levou grande perigo ao gol defendido por Llontop. O Vasco adiantou sua marcação para tentar chegar com mais facilidade à área peruana. E teve a chance de empatar com Alecsandro que recebeu bom passe de Fagner e chutou na rede pelo lado de fora.
Aos 14 minutos, Torres lançou Fano entre os zagueiros da equipe brasileira e o atacante peruano tocou com categoria no canto direito de Fernando Prass para marcar o segundo gol do Universitário.
O técnico Cristovão Borges trocou o volante Diego Rosa pelo experiente atacante Leandro para tentar a reação. O clima do jogo ficou tenso, com os dois times fazendo muitas faltas duras e dando trabalho ao árbitro.
Aos 25 minutos, após bola levantada na área, Alecsandro se enrolou com um zagueiro peruano e caiu reclamando a marcação de um pênalti, mas o árbitro considerou o lance como normal. O Universitário abandonou suas ambições ofensivas e passou a se preoupar apenas em defender a vantagem, enquanto o Vasco tentava a marcação de, pelo menos, um gol.
Aos 43 minutos, Ruidíaz fez ótima jogada individual, entrou na área e concluiu para boa defesa de Fernando Prass.



Nenhum comentário:

Postar um comentário